top of page
  • Foto do escritorMarcelo Michelsohn

A Potência de Conversar Com a Sombra

Uma rotina simples e poderosa para criar uma vida mais plena



Dizem que as escolhas que fazemos ao acordar, tem um grande impacto em como passaremos o dia todo. A maioria de nós já viveu isso na prática e sabe que é verdade. Pense em um dia em que você acordou, pegou o celular e passou uma hora no Twitter e compare com outro dia em que você acordou, bebeu meio litro de água e fez uma caminhada de 30 minutos.


Beber água e caminhar são ações no Mundo Externo, segundo o Phil Stutz. Porém há rotinas para trabalhar o Mundo Interno. Além de proporcionarem um dia melhor, o trabalho diário no Mundo Interno nos capacita a lidar melhor com os desafios que a vida nos oferece, seja no relacionamento com nossos filhos, cônjuges ou no trabalho.


Durante a minha vida, tentei implementar diversas rotinas matinais, mas sempre acabava abandonando. A vida é cheia de imprevistos que acabam bagunçando nossas rotinas. Como quando eu tinha o objetivo de acordar todos os dias às 5:30, mas algum incidente com um dos meus filhos durante a noite me mantinha acordado por duas horas e eu não conseguia acordar no mesmo horário.


Agora, toda manhã, após ir ao banheiro, volto para a cama, sento-me e passo entre 5 e 10 minutos conversando com minhas sombras. Esta prática me ajuda a me preparar para o dia que vem pela frente.


O que são as Sombras


O conceito de Sombra usado por Phil Stutz e Barry Michels tem base no trabalho de Jung. Para eles, a sombra é uma parte nossa, ou mesmo uma entidade que faz parte do nosso universo psíquico. Na verdade, temos mais do que uma sombra. Nossas sombras são criadas quando vivemos situações insuportáveis que causam emoções como dor, medo ou tristeza. Ao invés de sentirmos essas emoções, por mais difíceis que sejam, nosso ego ainda frágil na infância e adolescência, prefere se defender e então joga essa situação com as emoções associadas a elas para o inconsciente e obriga que essa nova entidade, a sombra, cuide disso.


Por exemplo, quando eu era criança, algumas pessoas próximas me chamavam de gordo, usando vários tipos de apelido. Elas também criticavam a minha timidez, me chamando de “bicho do mato” quando eu não queria falar com pessoas estranhas. Ser criticado é muito doloroso para o ego e para não sentir essa dor, ele joga essas emoções para a minha sombra.


A Potência das Nossas Sombras


As sombras não são aspectos ruins do nosso universo psicológico. Na verdade, elas são muito potentes pois estão conectadas com o universo inconsciente. O universo inconsciente é uma máquina de criação. É de lá que surgem nossos sonhos, todas as manifestações artísticas e todas as verdadeiras criações. O inconsciente se conecta com o sagrado, com o infinito e com o virtual. Uma vida desconectada do inconsciente é uma vida pobre, estagnada, triste.


Quando perdemos o contato com as sombras e passamos a vida jogando tudo de ruim que nos acontece para elas lidarem, em algum momento, seremos tomados por alguma de nossas sombras, pois é impossível escondê-las para sempre.


Quando eu tinha 14 anos, levei um fora de uma menina pela qual era apaixonado. Chegamos a ficar uma vez, mas no dia seguinte, quando cheguei na sala de aula todo empolgado (nós estudávamos juntos) para revê-la, ela me disse que não queria mais nada comigo.


Levar um fora foi devastador para mim e comecei a me atacar com vários pensamentos: “Eu devo beijar mal”, “Será que é porque eu sou feio?”, “Deve ser minha altura, eu sou muito baixo”. A parte que nos ataca nessas horas, segundo o Método Stutz, chama-se Parte X, mas falarei dela em outro texto.


O que interessa é que para eu não ficar sofrendo, empurrei esses pensamentos para minha Sombra Inferior que, há muitos anos, já acreditava que era feia e inadequada. Porém, no ano seguinte, quando a encontrei em uma balada e já havia bebido um pouco, fui tomado por uma raiva e gritei e xinguei ela. Esse fenômeno chama-se Shadow Takeover ou Domínio da Sombra. Isso acontece quando a Sombra está sozinha, carregando muitas emoções difíceis. Quando fica insuportável e damos uma oportunidade (a bebida ajuda), ela vem com toda a força e geralmente nos arrependemos do que fizemos ou falamos. Se você já perdeu a cabeça ou fez algo muito estúpido na sua vida, você sabe do que eu estou falando.


E quem nunca perdeu a cabeça com os filhos e ao invés de colocar limites de forma calma e escutar suas emoções acabou gritando ou punindo? Se você quer ajudar seus filhos, primeiro precisa olhar para você. Fazer o trabalho diário de perceber seu mundo emocional e não deixar que sentimentos represados, que não tem nada a ver com as crianças, tomem conta naquelas horas de cansaço e estresse.


Conversando Com a Sombra: Minha Prática Matinal


Durante o seminário do Barry Michels ele disse que o trabalho com a sombra (Shadow Work) é, na opinião dele, a principal prática criada pelo Phil Stutz e desenvolvida por ele. Paradoxalmente, eles ainda não escreveram nenhum livro sobre isso. O trabalho com a sombra, de forma simplificada, consiste em:


1- Entrar em contato com a Sombra

2- Escutá-la

3- Conversar com ela

4- Trazê-la para o seu dia a dia


Vou explicar como faço minha prática matinal abaixo, mas se você estiver interessado em fazer um trabalho profundo com sua sombra, escreva para mim e vamos conversar (marcelo@marcelomichelsohn.com).


Quando volto e sento na cama, fecho os olhos e convido uma ou mais sombras para se apresentarem. Eu já as conheço e sei como elas são. Às vezes elas mudam de figura um pouco, mas no geral eu as reconheço logo. Quando trabalho com minha Sombra Inferior, eu pergunto como ela está e se gostaria de me mostrar alguma cena do meu passado.


Geralmente ela me traz uma memória de quando foi humilhada ou abandonada. Eu vejo a cena, e geralmente digo “eu sinto muito por ter deixado você passar por isso sozinha”. Sim, eu falo com ela como se estivesse falando com uma pessoa. Então eu pergunto: “o que você precisa que eu faça agora?” e escuto. Às vezes ela fala que já está tudo bem. Às vezes pede para eu ficar com ela enquanto ela revive aquela cena. Às vezes pede para eu usar alguma das outras ferramentas, como por exemplo o Amor Ativo ou o Reverso do Desejo e fazemos juntos. Então eu digo que ela pode aparecer a hora que ela quiser durante o dia, especialmente quando eu estiver lidando com situações difíceis e nos despedimos. Eu abro o olho e sigo o dia.


Resultados do Trabalho com as Sombras


Fazer essa prática diariamente cria uma plataforma ou pontes que me dão a sensação de estar me movendo para frente, como também me dão mais acesso ao meu inconsciente e a minha energia criadora. Não é coincidência que depois de muitos anos sem escrever, este é o meu sexto texto em 6 semanas.


Se você tem experimentado bloqueios ou estagnações, crie uma rotina matinal, qualquer que seja. Pode ser caminhar, pode ser escrever, pode ser fazer o trabalho com a sombra. Escolha algo simples, rápido porém desafiador e faça todo dia. Pode até ser usar uma ferramenta do Stutz ao acordar, coisa que demora segundos. A consistência vai criar um movimento em você e isso vai influenciar seu dia, sua semana, seus meses e anos.


Caso você esteja passando por uma situação de vida difícil, sugiro procurar algum tipo de terapia. Se quiser experimentar um processo terapêutico baseado nos princípios e práticas do Phil Stutz aliados com as práticas que eu desenvolvi ao longo da minha carreira, entre em contato através do email marcelo@marcelomichelsohn.com. Espero que você tenha um bom dia!


PS: Preciso da sua ajuda para criar um programa de apoio para mães e pais que querem melhorar o relacionamento com os filhos e ter mais paz, tranquilidade e alegria no dia a dia. Clique no botão abaixo e responda 5 perguntas rápidas. Muito obrigado!




Se quiser conversar comigo sobre atendimentos relacionados aos filhos, à questões de relacionamento de casais ou de desenvolvimento pessoal, escreva para marcelom@marcelomichelsohn.com


(Aviso importante: Os textos publicados neste blog têm como objetivo compartilhar informações, experiências e reflexões relacionadas à terapia alternativa ou complementar. Eles não substituem aconselhamentos profissionais, diagnósticos ou tratamentos médicos e psicológicos. Caso você enfrente qualquer problema de saúde física ou mental, é imprescindível procurar a orientação de um profissional de saúde qualificado.)





179 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page