top of page
  • mmichelsohn

"Chorar Vai Me Fazer Sofrer"

Atualizado: 3 de jul. de 2023



Se você tem mais de 40 anos, com certeza sabe da onde eu tirei o título deste texto: da música Marvin, dos Titãs. (veja o clipe original aquii)


Mas você sabia que essa música é uma versão?


Eu não sabia disso até ontem, quando uma amiga me mostrou a música original em Inglês chamada “Patches”, tocada pela banda de reggae King Sounds & The Israelites. (ouça a versão aqui)


O que essa minha amiga não sabia, é que na verdade a música é um soul composto por General Johnson e Ron Dunbar. Johnson era o vocalista de uma banda de negros norte-americanos chamada Chairmen of the Board. (Ouça a música original aqui)


Você deve estar se perguntando “por que estou escrevendo sobre isso”?


Ontem, dia 18 de junho de 2023, fui ao show do Titãs. Que show inspirador!. Foi a primeira vez que eles tocaram juntos depois de 30 anos. Duas horas e meia de show, sem parar, com direito a muitas emoções. Branco Mello cantando e dançando sem parar depois de quase ter perdido a voz e a vida para um câncer. Alice Fromer, filha do Marcelo Fromer, guitarrista do Titãs, falecido por atropelamento em 2001, cantando para homenagear o pai.


As músicas não saem da minha cabeça e hoje quando estava cantando Marvin, cheguei na parte da letra que diz “Chorar vai me fazer sofrer” e pela primeira vez na vida me dei conta da relação desta frase com meu trabalho com pais e mães..



A Importância de Extravasar as Emoções


Escrevo muito sobre a importância da criança poder extravasar suas emoções acompanhada por um adulto tranquilo e que tenha capacidade de escuta. Escrevo também sobre como nossa sociedade tenta impedir que isso aconteça.


Uma das formas mais eficazes de bloquear o choro de uma criança é fazendo com que ela se sinta culpada por estar chorando. “Não chore, se não eu fico triste”, “Você quer ver o papai triste? Não? Então para de chorar”. Isso funciona também com expressões de raiva, como os gritos. “Nossa, uma menina tão comportada, gritando assim?”.


Geralmente a raiva é suprimida nas meninas e a tristeza nos meninos, porém isso é papo para um outro texto.


O extravasamento das emoções, a possibilidade de chorar, gritar, xingar, é o que permite que as crianças e mesmo alguns adultos voltem a estabelecer um equilíbrio emocional e a se conectarem novamente consigo e com os outros.


A Letra Original e a Versão dos Titãs


Fui pesquisar a letra original em inglês e não encontrei essa frase. Ela foi inserida na música pelo Nando Reis e Sérgio Britto, os autores da versão em português;


A música original é de 1970 e conta a história de um menino negro que teve que segurar a onda da família de agricultores no sul dos Estados Unidos, no Alabama.


Já a versão dos Titãs foi lançada em 1984 e não conta com a primeira estrofe cujo primeiro verso era numa (tradução livre: “Sou nascido e criado no Alabama”.


O autor da música nasceu em 1941 enquanto os autores da versão nasceram uma geração depois em 1959 e 1963. A idade e a realidade sócio-cultural podem explicar a diferença na escolha das letras.


Choro do Pai vs Choro do Filho


Provavelmente um pai, negro, agricultor que está morrendo nos anos 60s no Alabama não pediria para o filho parar de chorar para evitar seu próprio sofrimento. Na letra original é o pai quem chora ao se dar conta que, apesar de ter lutado a vida toda, está morrendo e deixando um fardo para o filho: em uma tradução livre: Um dia meu pai me chamou no seu leito de morte / Colocou as mãos em meus ombros / E em prantos me falou”.


Muitos pais e mães que atendo perguntam se não dá pra criança se reequilibrar e voltar a viver de maneira criativa, conectada e corajosa sem precisar chorar ou gritar. Eles dizem que não aguentam ouvir o sofrimento dos filhos. Eu respondo que eles não aguentam pois ninguém ouviu o sofrimento deles e portanto não cresceram com a autonomia de se reequilibrarem sozinhos. E completo dizendo que ouvir as emoções dos nossos filhos é importante não só para ajudá-los, mas também para que nós adultos possamos liberar nossas emoções estagnadas.


Você está vivendo algum desafio na criação dos filhos, no relacionamento ou no trabalho? Me escreve e vamos conversar sobre como posso te apoiar nessa jornada. marcelo@marcelomichelsohn.com


Agradecimentos


Estou profundamente grato aos Titãs pelo show que eles deram. Que força, que alegria, que camaradagem. Também estou grato pela música Marvin que é um hino e por ter conhecido a música original, Patches, que recomendo fortemente que vocês ouçam.


É incrível como a arte nos toca, nos mostra questões tão importantes, em tão poucas linhas, mas com tanta clareza. Essa potência de gerar afetos e multiplicar pensamentos é uma dádiva da música e claro, dos músicos. Obrigado Johnson, Durban, Antunes, Britto, Mello, Gavin, Belloto, Frommer, Miklos e Reis!


Um agradecimento especial para meu irmão, Renato Michelsohn por ter feito este momento mágico se tornar realidade.


E para a minha amiga-irmã Helena Sroulevich por ter nos inspirado, empolgado e acompanhado neste show!



(Aviso importante: Os textos publicados neste blog têm como objetivo compartilhar informações, experiências e reflexões relacionadas à terapia alternativa ou complementar. Eles não substituem aconselhamentos profissionais, diagnósticos ou tratamentos médicos e psicológicos. Caso você enfrente qualquer problema de saúde física ou mental, é imprescindível procurar a orientação de um profissional de saúde qualificado.)





119 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page