top of page
  • Foto do escritorMarcelo Michelsohn

"Estou Exausta! O que faço?" Afirme a Exaustão



Na semana passada atendi uma pessoa que está a beira de um burnout. Para todos os parâmetros modernos ela é uma pessoa "bem sucedida". Ganha bem, mora bem, viaja. Eu estimulo as pessoas que fazem análise comigo a me escreverem o quanto quiserem, para lidarmos com as situações na hora em que elas estão acontecendo. Ela escreveu:


"Dia mto mto difícil hoje. Estou exausta. E vou ter que trabalhar no fds de novo. Vai mudar tudo na minha área. Pessoas saindo pois não aguentam mais. Vai sobrar tudo pra mim"


Se você também está exausta ou passando por qualquer situação difícil na vida, leia a resposta abaixo como se eu tivesse falando diretamente para você. Faça os exercícios que eu proponho. Perceba como se sente. Se puder, compartilhe comigo sua experiência. Meu email é marcelom@hey.com ou entre na comunidade Conexão Marcelo Michelsohn e pegue meu contato no Whatsapp por lá.


Foi assim que respondi:


Sinto muito. Imagino sua exaustão. Eu sei que é difícil sentir o que vou falar agora, mas tudo o que está acontecendo é perfeito. É perfeito não porque é bom ou cômodo. É perfeito porque é o que está acontecendo.


Brigar com a realidade dizendo "eu queria que isso não estivesse acontecendo comigo" só te coloca numa posição de vítima e tira mais energia de você. Ir para o polo oposto e dizer "eu tenho que dar conta de tudo" também vai te esgotar.


Aí você me pergunta, "o que fazer". E eu, que não estou na sua pele, te digo: "afirme o que está acontecendo". Se você está exausta, afirme isso, sinta a exaustão em cada célula do seu corpo. Não para aumentar a exaustão e muito menos para se livrar dela, mas para estar completamente imersa na realidade, no acontecimento.


Quando você fizer isso, sua mente vai tentar escapar. vai te dizer algo como "para com isso, você não tem tempo." ou "isso não funciona". ÓTIMO! Afirme esse próximo pensamento. fale para você mesma: "olha só, eu estou pensando que isso não funciona. é isso que está acontecendo agora".


Siga afirmando cada novo pensamento, emoção ou sensação que surgir. Ao invés de se entregar ao hábito de pensar, de solucionar ou de se distrair, vá para a novidade de afirmar e estar 100% no presente.


O objetivo não é parar o tempo, interromper o fluxo, ficar imóvel. A ideia é se entregar para o fluxo. Afirmar cada coisa que chega na superfície. Assim você vai criar duração. O tempo se expande. Você entra em um outro estado (sem ter a intenção entrar neste estado, sem expectativa) e a partir dele você age.

Você escuta uma voz e com coragem e prudência, faz o que ela te manda. E aí você sai do circulo vicioso do padrão, da vitimização, da expectativa, do ressentimento e entra no circuito virtuoso do desejo. Não o desejo por alguma coisa, alguém ou algum estado. Desejo puro, desejo de desejar. Potência de sentir, pensar e agir.


Eu não tenho como te dar garantias. Mas posso dizer que eu vivia como você e agora eu não vivo mais assim. É claro que eu tenho perrengues. É claro que brigo com minha companheira, meus filhos. É claro que o hábito e o padrão me pegam e me derrubam. Mas eles não duram muito.


Não se trata de mudar de vida, não se trata de mudar de trabalho, marido, país, roupa. Trata-se de mudar o modo de vida. Perceber e abrir mão de um modo de vida reativo, ressentido, cheio de expectativas e ideais e abraçar um modo de vida alegre, vivo, ativo. Um modo de vida que aceita 100% da realidade e 100% da responsabilidade pelo que nos acontece. Um modo de vida que não busca controle, que não faz as coisas por medo ou por recompensa. Faz por que é a única coisa que poderia ser feita.


Nosso ego vai dizer que isso é maluquice e vai nos convencer a seguir pela trilha conhecida, mesmo que ela seja uma trilha triste. Nosso ego vai tentar nos convencer que esse outro modo de vida não existe, ou é muito difícil, ou é muito dolorido, exige sacrifícios. Mas não é nada disso. Não é porra-louquice, não é virar hippie, não é sair de uma forma (executiva) e entrar em outra forma (vendedora de pulseira na praia). Não tem nada a ver com isso.


Essa nova maneira de viver costuma ser conquistada de duas formas. A primeira é com um trauma muito grande que abre nossos olhos de uma vez só para a realidade e mexe profundamente na nossa descrição do mundo. Nossa identidade morre de uma vez e por sorte ou circunstâncias conseguimos entrar no circuito virtuoso do desejo e não cair novamente na reconstrução de uma nova identidade.


A segunda maneira é através de práticas diárias de desconstrução da maneira antiga de viver. Por exemplo, através das afirmações da realidade que mencionei acima. Está nas suas mãos. Você sabe como fazer. Você já mudou seu estado na minha frente diversas vezes durante as nossas sessões. Está nas suas mãos. Demora 3 minutos ou menos. Todos os dias. Assim que você perceber que está no hábito, no padrão, no ressentimento, na culpa, na expectativa, na comparação, é só parar e afirmar, sem tentar mudar nada. Coragem!

179 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page